04/05/2011

OH MEU DEUS

 Uma prova de 102 km´s em montanha realizada em Manteigas, prova essa com sentido de preparação para o meu grade objectivo em Setembro.
 Na sexta parti para Manteigas a meio da tarde e cheguei ao final do dia, depois de encontrar o local de pernoita e onde se levantava os dorsais, fui preparar a cama onde iria descansar por duas noites, depois de tudo pronto comi alguma coisa e fui tomar um café com a pessoa responsável pela organização nessa altura já me tinha avisado das dificuldades que esta prova iria ter, depois no inicio da noite tivemos um breffing ao qual nos foi dado uma ideia geral da prova e mais uma vez ficou o aviso e bem vincado de que esta prova não seria fácil era dura e muito dura, depois disto deitar e descansar.
 A manha começou cedo, um nervoso miudinho sentia-se por todo o pavilhão, eu no meu caso fico por norma ate a ultima deitado no colchão, tomo o meu pequeno almoço desta vez um pouco mais reforçado e rezo para que não me de a volta a barriga, ja perto da hora da partida preparo-me e dizem-me...
 Vais assim ?
 Assim como !
 De manga curta.
 Vou porque ? Ha algum mal, não deve estar mau.
 Esta frio, e la para cima deve estar pior.
 Certo, então mais vale levar vestido o impermeável, mas se o vestir agora nunca mais o tiro.
 Ok mas mais vale, assim vais melhor.
 E depois disto fomos para baixo para o local de partida, ai foi feito uma vistoria as mochilas e ao equipamento obrigatório, depois disto e por volta das 8 da manha foi dada a partida.
  O inicio foi logo a subir, uma pequena volta pela cidade de Manteigas e logo ai se viu que se não houve-se atenção as fitas as coisas não iam ser fáceis, de inicio e ate sairmos da cidade andei com os da frente foi pouco mas era com essa intenção, depois de entrar-mos no monte deixei os da frente e fiquei logo a traz, durante algum tempo foi em sobe desce ligeiro mas logo a seguir veio uma parte mais dura e técnica ai começaram as minhas primeiras dificuldades e uma desatenção levou-me ao engano e quem vinha a traz seguiu o mesmo que eu mas depois de dizer que não era por ali e que estávamos mal perguntamos a que vinha a traz se via alguma fita por ali e disseram-nos que era mais ao lado de onde estávamos, voltamos para traz e assim perdi a noção das pessoas que tinha a minha frente, durante algum tempo tive dificuldades de progredir não é terreno ao qual goste muito e sinto bastantes dificuldades, mantive-me sempre a traz de um pequeno grupo a tentar andar sempre ali a traz deles, depois de uma primeira fase com cerca de 20 km´s vem o primeiro abastecimento, um abastecimento bem fornecido e com tudo que qualquer um precisa para prosseguir sem problemas, ate aqui tudo corre as mil maravilhas.
 Durante os km´s seguintes vem uma subida longa durante parte dela corro e caminho, mas depois do meu amigo Pedro que estava a fazer só os 50 passa por mim eu ganho alguma confiança e começo a correr, a partir dai ganho lugares e vou ate ao lugar que andaria quase ate ao fim, nessa altura a prova fazia-se quase toda a correr e ate aos 42 tudo correu bem. Os km´s seguintes com alguns altos e baixos mas a chegar perto dos 60 comecei a ter uma das minhas crises e pelo menos já as sei distinguir pois mal começou eu actuei logo e quando cheguei ao abastecimento dos 60 já me sentia bastante bem, ai tornei a comer a beber e acabei por sair rapidamente dali enquanto outros ficaram a mudar de roupa. A partir dai vinha uma das partes mais difíceis seriam cerca de 22 km´s muito duros e com algumas partes bem perigosas, nos primeiros 10 muita pedra lisa e quando molhada tornava-se escorregadia muitos riachos e campos de ervas em que se tinha de ter muito cuidado para não torcer os pés, depois um pequeno planalto para se poder descansar o abastecimento de agua aos 82 e depois a aventura que se seguia 10 km´s extremos, descidas longas feitas de rocha em rocha e na maioria das vezes acompanhar as quedas de agua, nesta altura estava-mos no lado mais frio da colina ate ao ponto de em alguns locais ainda ter neve e termos de passar por ela, as mãos geladas não permitia sentir onde punha as mãos se era arbusto ou mesmo picos e quando eram picos só mesmo no final é que percebíamos que la tinha-mos posto a mão, nessa altura progredia-se muito pouco, o cuidado era o principal evitar uma queda grave era mais importante, depois de descer e quando pensava que o pior já tinha passado tinha-me enganado, comecei a subir uma colina agarrado a rochas e ao que mais parecia uma escalada do que uma corrida e depois de um grande esforço chego ao abastecimento dos 82, ai dou de caras com um GNR de montanha ao qual tenho uma pequena conversa e lhe digo...
 Tenho 12 horas aqui, devemos ter mais 1 hora e pouco de luz, se acontecer algo ao pessoal que vem a traz como é que os conseguem tirar de lá?
 Temos um helicóptero preparado para levantar, e se for preciso vamos la também.
 E o helicóptero vai la de noite, não me parece, e se alguém ficar la no meio nem vocês vão consegui-lo trazer as costas.
 Pois você tem razão.
 Pensem no que vão fazer.
 Fui-me embora para abastecer, comi algo que estava ao monte dentro do carro, aqui não tiveram o cuidado de ajudar quem chegava, estava a chover, frio e ficar dentro do carro era o ideal, mas o que eu estava a pensar era andar o mais possível para a frente pois a noite estava quase a chegar e quanto mais progredisse melhor, fiz uma meia dúzia de km´s ate chegar a uma bandeira e não ver mais nada nem uma fita nem uma bandeira, andei de lado para lado e nada, foi então que decidi fazer uma das ultimas alternativas telefonar ao 112 e pedir ajuda, nesta altura pensei bem a minha prova acabou aqui, depois de ter dado conta que estava perdido e onde me encontrava fiquei aguardar pela ajuda, ao fim de uns 45 minutos aparecem dois companheiros ao qual os pus ao corrente da situação e então entre os três la demos com o trilho, ao fim de cinco minutos um dos meus companheiros naquela altura recebe um telefonema a dizerem que a prova aos 72 tinha sido cancelada para quem chegasse ali, e pensei eu ainda bem que o fizeram, depois pedi para ligar ao 112 para avisar que já estava em progressão e com pessoal e que estávamos já no trilho.
 Durante os km´s seguintes foi progredir sempre em câmara lenta e de fita em fita, as fitas alem de não serem as mais adequadas para a noite não estavam muito próximas umas das outras o que dificultou bastante, nesta fase e quando entramos no estradão pensei que ia ser assim ate ao fim, engano meu foi assim durante uns km´s mas depois mais uma grande dificuldade os últimos km´s ate chegar a Manteigas com muita pedra em descidas íngremes, e durante este tempo todo tinha a minha frente os dois companheiros dos últimos km´s a frente a avisarem-me de todo o tipo de terreno que íamos passando e mesmo assim ainda cai por varias vezes, chegados a Manteigas tinham-nos dito para irmos directos ao centro e assim fizemos e essa volta que demos levou-nos a perder algum tempo, mas quando chegamos foi um alivio e verdade seja dita foi daquelas provas que acabei por não ter um sentimento definido nem de alegria nem de euforia por ter acabado.
 Depois desta aventura um bom banho e uma bom descanso é tudo o que se pede, depois de uma noite mal dormida o que normalmente acontece depois de uma prova destas, tomei o pequeno almoço descansei mais um pouco e depois arrumei as coisas todas e fui tomar um café, durante a manha la fui conversando com este e com aquele atleta, e claro tudo em volta da prova, por volta do meio dia a entrega dos prémios aos primeiros das três provas  e depois o almoço convívio para terminar em beleza.

 A prova - quanto a mim tem pernas para andar
 Percurso- muito bonito apesar de estar muita chuva e novoeiro
 Dificuldade - a dificuldade era o que ja estava a espera, mas não esperava pelos últimos 18 km´s depois daqueles km´s todos a ultima parte, quanto a mim deveria ser feita em estradão a permitir correr e a pensar que o pior já tinha passado.
 Marcação - a marcação no inicio estava muito bem marcada, mas tem de se pensar depois mais para a frente e quando vai ficar noite, os últimos sentem muitas dificuldades em avançar as marcações tem de melhorar.
 Abastecimentos - o abastecimento dos 20 km´s deveria servir de exemplo para os restantes, não basta ter numa prova destas um ou dois bons abastecimentos.
 Pessoal - apesar de ser pouco eram bons, mas a que ter em quanta que numa prova destas temos de estar la por gosto e não contrariados, o que passei no abastecimento 82 nem devia ter acontecido e pelos vistos foi com todos os que la passaram.

  AGRADECIMENTOS - claro que em primeiro lugar quero agradecer a minha mulher pois é ela que me atura todos os dias e que ora me da cabo da cabeça ora me da o apoio que bem preciso.
 A toda a organização da prova pois esforçaram-se imenso para agradar a todos, e por ultimo e penso que bem merecido a GNR de montanha e aos bombeiros que durante toda a prova nos acompanharam e deram força para terminar esta prova.

 Deu 16 horas e 25 minutos e 102 km´s.

Um comentário:

  1. Oh meu deus que prova.
    Parabens pela prova e pelo relato da mesma.

    ResponderExcluir